Share

Cada pisada uma sentença

Médicos e fisioterapeutas alertam que por melhor que sejam as intenções dos amigos ao indicar modelos ou por mais bonitos que sejam os tênis, nada substitui a avaliação individualizada, antes de escolher o modelo ideal para você correr.

pisada

A busca por melhores resultados faz com que os corredores procurem, além de maior volume de treinamento, recursos tecnológicos para ajudá-los na performance. Contudo, de nada adiantam esses investimentos, especialmente na qualidade do tênis, se no decorrer do treinamento o atleta descobrir que é justamente o calçado que está causando desconforto.

Médicos e fisioterapeutas alertam que por melhor que sejam as intenções dos amigos ao indicar modelos ou por mais bonitos que sejam os tênis, nada substitui a avaliação individualizada. Cada tipo de pessoa precisa de um modelo específico. Na hora de escolher o mais adequado é preciso ter em mente mais que beleza, marca ou cor.  “O calçado deve controlar as sobrecargas do corpo” diz o fisioterapeuta Evaldo Bosio. Segundo ele, o tênis desenvolvido para corrida tem, basicamente, duas funções: proteger os pés do esforço e permitir que o corredor desenvolva seu potencial máximo.

E aí que entra a baropodometria, popularmente conhecida como análise da pisada. “Existem diferentes tipos de teste que conseguem, por exemplo, diagnosticar se o atleta tem diferença entre uma perna e outra ou imprime sobrecarga maior em alguma região do pé na hora do exercício”, afirma o fisioterapeuta Alexandre Marcos, de São Paulo.

Entre os variados tipos de avaliação de pisada, Marcos destaca a plataforma de força, toda sensorizada, na qual são registrados vários tipos de frequência. Já na avaliação dinâmica é  usada uma palmilha com 980 sensores. A pessoa corre em uma esteira e os dados são analisados pelo computador. Especialistas e treinadores, em geral, desaconselham o famoso teste do pé molhado no jornal, pois é impreciso e uma leitura errada do resultado pode trazer problemas futuros ao atleta.

Como é a sua pisada

Você sabe qual é o tipo da sua pisada? Existem três padrões: a pronada (para dentro); a supinada (para fora), e a neutra, considerada o tipo ideal, já que há equilíbrio na forma como os pés tocam no chão.

De acordo com o mestre e doutor em ortopedia e medicina esportiva Rogério Teixeira da Silva, também da capital paulista, a maioria das pessoas pisa primeiro com a parte externa do calcanhar, motivo pelo qual os sapatos costumam gastar mais nessa região. “A maneira mais adequada de determinar o tipo da pisada é por meio do teste e não simplesmente olhando a sola do sapato”, alerta. Além disso, é possível ter uma pisada neutra ao andar e pronada ao correr ou, ainda, ter um pé neutro e outro pronado, por exemplo. Ou seja, só com a ajuda de uma avaliação biomecânica é possível detectar essas características.

Deu resultado

Foi uma lesão degenerativa no menisco do joelho direito que levou a corredora Amanda Simões, de Santo André, a fazer o teste no ano passado, quando descobriu ter pisada neutra no esquerdo e supinada no direito. “O ortopedista me perguntou se eu usava um bom tênis e se ele estava de acordo com a minha pisada. Até então eu corria sem a menor noção, não fazia ideia da importância de ter um calçado mais adequado.” Após o exame, Amanda comprou um tênis levando em conta as orientações do especialista e logo sentiu os resultados: “A corrida ficou muito mais suave e confortável”.

Outro corredor, o paulistano Alexandre Abreu, fez o teste que apontou pisada normal logo que começou a correr, há dois anos. “Na verdade, fiz duas avaliações, uma visual, na qual deu pronado, e outra com recursos eletrônicos, que apontou para normal. Optei pelo segundo resultado pela confiança na técnica”, diz.

O carioca Thiago Rodolfo, que corre há dois anos, também fez o teste e afirma que seu rendimento melhorou em absolutamente tudo. “As lesões diminuíram; antes eu corria na esteira, menos de cinco quilômetros, com um tênis que achava que era de corrida, mas não me sentia confortável, pois tinha muitas dores nas pernas, nos tornozelos e nas canelas. Após a avaliação e com o tênis indicado para a minha pisada comecei a correr fora da esteira e a enfrentar maiores distâncias”, afirma. Hoje ele treina para provas de 21 quilômetros.

Onde Fazer

 

São Paulo/SP

Studiu Passu (www.studiupassu.com.br)

ITEMP – Instituto de Terapia Manual e Podoposturologia (www.itemp.com.br)

Asics Foot Id – (11) 3064-0674

 

 

Rio de Janeiro/RJ

Corpro (www.corpro.com.br)