Share

Viver o presente e ganhar energia

Estudos recentes demonstram que a técnica de meditação, embasada no conhecimento orientar milenar, também ajuda a fortalecer a memória, melhorar o humor e ainda aumenta a longevidade. Para quem corre, manter a atenção nas próprias metas é indispensável. Aliás, não só no que diz respeito às provas das quais quer participar ou aos treinos, mas também em relação a qualquer outro objetivo da vida.

Por milênios, culturas orientais desenvolveram várias formas do que hoje chamamos de meditação mindfulness como forma de amenizar para o enigma do sofrimento humano. Textos antigos detalham exercícios de treinamento precisos para cultivar a capacidade de focar na experiência perceptiva do momento, em vez de divagar. Desde então, pessoas que praticam a atenção plena relatam ter maior clareza mental, calma e, curiosamente, a maioria vive de forma saudável por muito tempo.

Uma ampla categoria de exercícios de atenção focada orienta as pessoas a se concentrar, prestando atenção, em primeiro lugar, à própria respiração. Os praticantes devem perceber quando a mente se perde e simplesmente se atentar ao que sente, sem se apegar a nenhum pensamento, apenas deixando que se vá. Nesse caso, a proposta é fazer algo aparentemente simples, mas poderoso: ater-se ao trajeto do ar durante a inspiração e a expiração.

Focar no agora, olhar com cuidado, evitar a distração. É disso que se trata a prática de mindfulness ou atenção plena, por meio da qual é possível desenvolver e manter o comprometimento com o momento presente sem avaliações emocionais ou reações. Centenas de artigos científicos demonstram que essa técnica direcionada para se tornar mais consciente ajuda a reduzir o estresse psicológico, melhora a saúde física e mental e alivia a depressão, ansiedade, solidão e dor crônica. Mais de 250 centros médicos pelo mundo já oferecem terapias com base na mindfulness para transtornos de humor e outros distúrbios.

Recentemente, estudos feitos em muitos outros centros de pesquisa revelam benefícios surpreendentes e comprovam que a prática ajuda a fortalecer a capacidade de atenção, favorecendo a habilidade de direcionar nossa vontade em meio ao mar de estimulação interna e externa e, ao mesmo tempo, permitindo maior consciência do que acontece no momento. Embora ainda sejam necessários mais estudos para comprovar se os resultados dos experimentos feitos com pequenos grupos podem ser ampliados para grande número de pessoas, o que sabemos é que a prática amplia a capacidade de nos relacionarmos conosco e com o mundo. E os dados indicam uma perspectiva animadora: aqueles que se concentram no aqui e no agora, sem julgamentos, tendem a ser mais felizes e saudáveis.

Uma maneira prática e eficaz de fazer isso é começar deixando de lado o passado, parar de pensar no futuro e voltar-se única e exclusivamente para o presente. Parece fácil? Não se iluda. Só parece. Permanecer inteiro, de corpo, atenção e intenção, é um desafio. Mas ele pode ser vencido com empenho. Certamente você vai sentir o resultado nos seus treinos.

Para capturar a atenção
A proposta é focar no presente sem julgamentos, tem benefícios comprovados para a saúde e felicidade. Praticar o exercício abaixo diariamente pode ajudar a pessoa a assumir o controle sobre suas escolhas de forma mais autônoma e atingir metas mais facilmente.
A seguir, veja exercícios de 10 a 15 minutos projetados para reforçar o foco (restrição da atenção) e o monitoramento aberto (ampla consciência das sensações ao redor). Os exercícios são sugeridos pelo diretor de Programas e Treinamentos, Pesquisa e Prática Iniciativa de Mindfulness, da Universidade de Miami, Scott Rogers.

1. Sente-se em uma posição confortável, com a coluna ereta, de forma estável e descanse as mãos sobre as coxas ou, se preferir, una-as sobre o colo
2. Abaixe os olhos ou feche-os, o que lhe parece melhor
3. Respirar pelo nariz de forma natural, sem forçar o movimento.
4. Atente-se a sua respiração, seguindo o trajeto do ar em seu corpo. Apenas observe o ar entrar e sair dos pulmões.
5. Caso surjam outros pensamentos não se atenha a eles, deixe-os ir e volte a atenção à inspiração e à expiração.
6. Perceba as sensações em torno de sua barriga à medida que o ar flui.
7. Após 5 ou 10 minutos, mude para o monitoramento. Imagine sua mente como um vasto céu aberto e seus pensamentos, sentimentos e suas sensações como nuvens passageiras.
8. Sinta todo o corpo mexer-se suavemente com sua respiração. Seja receptivo a suas sensações, se dê conta do que acontece no momento. Esteja atento para o que percebe: sons, aromas, a carícia de uma brisa, pensamentos, mas não se prenda a nada.
9. Depois de aproximadamente cinco minutos, abra os olhos.

Sentiu-se bem? Então repita, pois só a prática frequente o fará familiarizar-se com essas sensações.

 

 
 
 
 
matéria publicada na ed. 31 do Jornal Corrida