Share

Maldito cigarro – por José Amâncio

“QUANTA GENTE QUE RI TALVEZ CONSIGO, TRAZ UM ATROZ, ATÉ ENTÃO RECÔNDITO INIMIGO, MAS QUE NA VERDADE É UMA TERRÍVEL CHAGA CANCEROSA” (Adaptado do Soneto Mal Secreto, de Raimundo Correa).

Quando comecei a escrever a história de minha vida, que na verdade reescrevi ao tomar a decisão de “parar de beber”, foquei apenas nessa parte, dado a importância que ela representava naquele momento. Jamais podia imaginar que o CIGARRO, que havia deixado de fazer uso naquela ocasião já há mais  04 anos, viria ser o VILÃO de minha vida.

No último dia 28 de abril, dia do meu aniversário de 73 anos, infelizmente tive que conviver com esses dois fatos extremamente contraditórios. De um lado, recebi centenas de  mensagens me parabenizando, elogiando minha saúde e, sobretudo, me enaltecendo pela excelente decisão que tomei de abandonar o vício do álcool, me tornar um corredor e adepto, incentivador, motivador, etc, no sentido de se fazer atividades físicas, ainda mais por pessoas da terceira idade.

De outro lado, tive a confirmação dos médicos de que sou portador de um câncer de boca, localizado na base da língua, causado sem sobra de dúvidas pelo uso do cigarro, hábito que cultivei por mais de 40 anos. Em alguns de meus escritos, sobre o fato de ter deixado de beber, citei o cigarro de forma simplória, com frase como essa: “fumava para beber e bebia para fumar”. Pois bem: o CIGARRO veio cobrar a conta.

Aí estou eu! Essa alegria que adquiri com a prática de corrida de rua, estampada na foto acima, eu vou “brigar” por mantê-la! Assim como na prática de atividades físicas, que se a pessoa não quiser realmente não consegue fazer,  assim também é o tratamento que vou me submeter nos próximos dias: se eu não me esforçar, não aguentar o sofrimento, perseverar, lutar, etc. não adianta o esforço da família, dos amigos, dos médicos!  Enfim, depende muito de mim e eu vou lutar… Será minha primeira maratona. Cada dia de tratamento será como um km percorrido. São 33 dias úteis que terei de superar para atingir e cruzar a linha de chegada!

Assim, o que peço aos amigos corredores de rua, que conheço pessoalmente ou não: e a todos que de uma forma ou de outra desejam o meu restabelecimento, REZEM POR MIM! para me dar força! Sou católico e Devoto da Mãe Aparecida, do Senhor do Bonfim, de Nossa Senhora de Fátima, de Santa Rita de Cássia e todos os santos que me protegem. Neste momento preciso de orações!

Muito obrigado a todos.  Até breve…

ab_amancio_homeJosé Amâncio Neto – Bancário aposentado de Salvador (BA), começou a correr em 2009 para manter a saúde e fazer novos amigos. Além deste blog, é autor do blog Corredor da Terceira Idade. Fale com o José Amâncio:TWITTER ou FACEBOOK

Leia outros textos do blog do Correr não tem idade aqui