foto de corredores na largada da maratona de são paulo

Era o dia 8 de outubro de 1995, 9 horas, quando foi dada a largada da 1ª. Maratona Internacional de São Paulo. Naquela época, a prova teve início no centro histórico da cidade. Começava na Avenida Rio Branco esquina com Avenida Ipiranga, indo em direção à Barra Funda, passando pelo Sumaré, Pinheiros, Jaguaré, Cidade Universitária, Jockey e pelos três túneis que estavam recém-inaugurados: Jânio Quadros, Tribunal de Justiça e Ayrton Senna. A chegada acontecia no Obelisco do Ibirapuera, onde em 2018 milhares de corredores largarão para mais uma edição do evento.

Ao longo dos anos, a maratona sofreu diversas alterações para melhorar a performance e os tempos dos atletas. “Os melhores resultados de maratonas são realizados ao nível do mar. A Maratona de São Paulo é uma maratona difícil. A medida que os anos vão passando, os organizadores vão tentando ajustar o percurso que favoreça o atleta a ter um desempenho melhor. São 42.195 metros num circuito com subidas, túneis, muita variação”, descreve Wanderlei Oliveira, atleta e treinador, corredor desde 1965 que já fez correndo uma quilometragem equivalente à três voltas ao mundo.

Em 2008, a ponte Octávio Frias de Oliveira, conhecida como “Ponte Estaiada” foi incluida do percurso. Saia da avenida Roberto Marinho, passando pela ponte Estaiada, Marginal Pinheiros, Itaim, Túneis, Jockey, Butantã, Pinheiros, Cidade Universitária e chegada no Obelisco do Ibirapuera. A prova permaneceu assim até 2012, quando sua estrutura de largada e chegada voltou à região do Ibirapuera. Para este ano, a corrida conta com um percurso mais rápido, tem chegada e largada no Obelisco, e eliminou curvas do trajeto, tornando-o mais linear.

A maratona paulistana sofreu diversas alterações para melhorar a performance e os tempos dos atletas.

Para corredores veteranos como Vicent Sobrinho, que já participou de 4 edições da Maratona de São Paulo e fez mais de 600 provas, “a corrida precisa de mudanças além do percurso, a estrutura é perfeita. O que falta são coisas do coração da corrida, como por exemplo, pessoas para entregar as medalhas no pescoço dos corredores. Essa pessoa faz a diferença e ajuda a reviver o espírito de competição”, enfatiza o maratonista Vicent.

Assim como o circuito se renova a cada ano, novos corredores escolhem o escolhem como estreia. A advogada Daniela de Camargo, 37 anos,  vai correr 42 Km pela primeira vez e sabe que vai enfrentar um grande desafio em vários aspectos. “Escolhi a Maratona de São Paulo por ser na minha cidade e por estar perto da minha família para compartilhar minha nova conquista. É uma prova dura, mas desafio é desafio. Vou focar e aproveitar a energia da prova, será o meu momento”.

A Maratona Internacional de São Paulo acontece sempre no mês de abril e conta com 4 variações de percurso: 42k, 24k, 8k e 4k. Para os atletas, a entrega do kit e chip acontece na EXPO DO ATLETA, realizado nos 3 dias que antecedem a largada. Para mais informações entre no site do evento.