Ela já apareceu em inúmeras obras de arte como a “fruta do pecado” que Eva teria oferecido a Adão – o que, aliás, fez com que o casal bíblico fosse expulso do Paraíso.

Foi também escolhida pela invejosa madrasta de Branca de Neve para atrair a princesinha e fazê-la cair em sono profundo, até que fosse acordada pelo príncipe encantado. Também tornou-se ainda ícone da cidade de Nova York, chamada The Big Apple, e de uma das mais famosas marcas de computadores e outros produtos tecnológicos o mundo.

Apesar de tantas histórias e atribuições em seu currículo, a fruta muitas vezes passa despercebida, mesmo que antes do treino ou depois da corrida você, distraidamente, recorra a ela para matar a fome. O que pouca gente sabe são os diversos benefícios da maçã para quem pratica atividade física por causa de suas propriedades antioxidantes que protegem os pulmões e ajudam a melhorar a capacidade respiratória. Uma pesquisa feita pela Universidade de Nottingham, na Inglaterra, mostrou que as pessoas que comem cinco maçãs ou mais por semana têm menos problemas respiratórios, incluindo asma.

Suas propriedades antioxidantes protegem os pulmões e ajudam a melhorar a capacidade respiratória.

A fruta mais cultivada do mundo também tem é adstringente e por isso favorece a saúde da garganta e das cordas vocais. E mais: rica em fibras, auxilia o bom funcionamento intestinal. Suas propriedades anti-inflamatórias e antibacterianas contribuem para a higiene bucal, limpando os dentes e fortalecendo as gengivas. Ou seja: se precisar adiar por algum tempo a escovação, comer uma maçã pode ser muito útil. E até sua casca pode ser aproveitada para o preparo de chá, servindo como diurético. Além disso, ajuda a retardar o envelhecimento e preservam as células, ajudando a preservar as células e a prevenir o aparecimento de câncer.

matéria publicada na ed. 19 do Jornal Corrida