top of page

Corra na Patagônia Chilena


Corrida ultra torres del paine
Percurso Ultra Paine/ crédito imagem: organização Racing Patagonia

Viajar para a Patagônia Chilena é mergulhar num dos mais belos e selvagens parques naturais do planeta. Considerado Patrimônio Natural da Humanidade, o Parque Nacional Torres del Paine abriga paisagens deslumbrantes, cheias de contrastes e cores, mas também muita aventura e alguns provas de trail para o apaixonados por corrida.


No verão (sempre em meados de fevereiro), acontece a Ultra Fiord. E no segundo semestre, a Patagonian International Marathon e a Ultra Paine. O Jornal Corrida já esteve nas 3 provas. E quem nos acompanha já deve saber:  a Ultra Fiord é a mais “casca grossa” e também a mais fascinante. Com percurso que variam entre 50K e 100 milhas, passando por bosque, rios, charcos, montanhas, geleiras e ao lado de glaciares, entre os parques Torres del Paine e Bernardo O’ Higgins, a prova conta com o elemento surpresa das condições climáticas da estação do ano na qual acontece.


Apesar das temperaturas mais amenas no segundo semestre, na Patagônia Chilena, são comuns mudanças abruptas do clima, não é privilégio dessa ou daquela estação. De qualquer forma, nas provas que acontecem em setembro, as temperaturas são um pouco mais agradáveis para nós brasileiros, pouco acostumados com o frio.


A Patagonian Marathon apresenta opções para 10, 21 e 42K e percursos em estradas pelo Parque Torres del Paine. Alguns trechos são de asfalto, mas a maior parte é por estradas de terra e pedregulho que cortam a região, sempre tendo a vista das famosas Torres emoldurando o trajeto. Mas não pense que é uma prova fácil: a variação do perfil altimétrico exige um bom preparo e muito treino de subida. Mas vale a pena. E é indicada para quem vai correr pela primeira vez na região.


Já a Ultra Paine é como o próprio nome diz: trail. Traz percursos de trilha que variam: 7, 14, 21, 35, 50 e 80K. Só trilha mesmo! Single track, riachos, áreas rochosas, bosques e charcos. Seu perfil altimétrico também é bem variado. Para quem não está acostumado com provas assim ou nunca correu na região, os 14K podem ser uma opção.


Apesar da capital chilena, Santiago, estar a pouco mais de 3 horas de voo de São Paulo, chegar à Patagônia Chilena não é tão rápido assim. Dependendo de voos, conexões e traslados, pode-se levar até 20 horas para chegar à Puerto Natales, a pequena cidade que é a porta de entrada da região. Partindo de São Paulo, seguimos até Santiago. Em Santiago é preciso pegar outro voo até Punta Arenas (extremo sul do continente) e de lá, é preciso seguir de ônibus ou van de turismo até Puerto Natales. São mais 250 km pela Ruta Del Fin del Mundo.


Cansou? Nem pense em desistir! Já estivemos lá 5 vezes e garantimos que as paisagens e beleza do local valem a pena.


Uma opção é ficar uma noite em Punta Arenas e depois seguir para Puerto Natales. Ou, fazer isso na volta. Punta Arenas é uma cidade cheia de charme, às margens do estreito de Magalhães, e tem uma excelente zona franca para quem gosta de fazer compras de eletroeletrônicos.


Para ir de Punta Arenas à Puerto Natales, caso o hotel não ofereça este serviço (mas a maioria oferece), não é complicado. No próprio aeroporto tem transporte legalizado de van e ônibus que fazem o trajeto. Os ônibus regulares que saem da estação central da cidade passam pelo aeroporto. Só tome cuidado, pois no hall de desembarque centenas de motoristas oferecem os serviços. Cuidado com estes serviços não regulamentados.

Serviço

Ultra Fiord

  • Considerada uma das provas trail mais difíceis e inóspitas do continente

  • Acontece anualmente no mês de abril

  • Percursos de 16, 30, 42 e 55 Km

  • Prova indicada para corredores com experiência em trail

  • Percursos que passam por planícies, morros, glaciares, charcos, bosques

  • Nível de dificuldade de médio (16 e 30 km) para alto (todas as outras distâncias)

  • Informações e inscrições pelo site www.ultrafiord.com


percurso Ultra Fiord / crédito foto: organização Racing Patagonia

Patagonian International Marathon

  • Prova com percursos estradas (de terra, pedregulhos e asfalto)

  • Acontece anualmente no mês de setembro

  • Percursos tradicionais de 10, 21 e 42 KM

  • Não requer experiência em trail

  • Perfil altimétrico e condições climáticas exigem boa preparação

  • Percursos passam pelo entorno do Parque Nacional Torres del Paine, tendo seus maciços milenares como cenário por todo o trajeto

  • Nível de dificuldade de fácil (10 Km) a intermediário (21 e 42 Km)

  • Site oficial do evento pelo link.


Uma das largadas da Patagonian Marathon / crédito foto: organização Racing Patagonia

Ultra Paine

  • Prova com percursos em trilha (foto abertura da matéria)

  • Acontece anualmente no final do mês de setembro

  • Percursos tradicionais de 14, 35, 50 e 80 KM

  • Requer experiência em trail (de mínima a alta – para os 50 e 80 km)

  • Perfil altimétrico e condições climáticas exigem boa preparação

  • Percursos que passam por planícies, morros e bosques ao entorno do

  • Parque Nacional Torres del Paine, tendo seus maciços milenares como cenário por todo o trajeto

  • Nível de dificuldade de médio (14 Km) a intermediário (todas as outras distâncias)


Para 2024, o Jornal Corrida tem parceria com a organização e empresas de turismo locais para venda das inscrições com exclusividade para atletas brasileiros em moeda nacional (Real) e condições especiais de pagamento (parcelamento em cartão de crédito).

Além disso, ainda tem 8 vagas em pacote de viagem e hospedagem exclusivo para grupo de corredores brasileiros. O grupo será acompanhado e guiado pela jornalista e corredora Roberta Palma, editora do Jornal Corrida, que já correu no local 5 vezes.


Para saber mais e garantir sua vaga nessa aventura patagônica, fale conosco aqui.




Comments


bottom of page