corredor ensinando a correrUm melhor desempenho na prática da corrida exige, além da rodagem, do condicionamento físico e do fortalecimento muscular, uma compreensão da técnica e domínio nos detalhes na hora da execução do movimento. Ao contrário do que muitos defendem, a corrida é muito mais que colocar um tênis e sair por aí. Envolve muito treinamento, acessórios adequados e, principalmente, uma técnica específica que não apenas previne de lesões, mas é também fundamental para a performance. Miguel Sarkis, personal  trainer, com certificação internacional em atletismo pela IAAF (International Associations Atletics Federations) e corredor há 35 anos, explica que “os exercícios educativos são fundamentais, pois além de ajudarem na coordenação, promovem o fortalecimento da musculatura envolvida no movimento”. Apesar dos nomes difíceis, quase impronunciáveis, esses exercícios possibilitam a estabilização de movimentos e melhoram a forma física geral e também a coordenação neuromotora. “O ideal é que se realize esse tipo de treinamento sob a supervisão de alguém que o possa corrigir os movimentos, para que sejam executados corretamente”, orienta Sarkis.

Correr envolve muito treinamento, acessórios adequados e, principalmente, uma técnica específica que não apenas previne de lesões, mas é também fundamental para a performance.

O treinador indica realizá-los na grama, areia dura, terra batida ou pista de atletismo. Aos corredores experientes, já bem adaptados à prática, é possível a execução em areia mole, o que pode proporcionar melhor resposta no contato dos pés com o solo e na adaptação para provas em que o piso seja predominantemente de areia. “Séries de até quatro repetições, em trechos inferiores a 10 metros podem ser experimentadas mesmo por quem não tem treinador”, diz Sarkis. “Após duas semanas de prática é possível aumentar as distâncias e o volume de repetições para cada exercício.” Segundo ele, 10, 20, 50 e até 100 metros são distâncias que podem ser consideradas médias e altas para todos os níveis de corredores. Sarkis recomenda: “educativos em trechos superiores a 50 metros apenas para corredores já consolidados, que percorrem os 10 km em 50 minutos ou menos”.

Hopserlauf

Corpo levemente para a frente. Correr saltitando em linha reta, elevando joelhos e braços alternadamente a 90 graus. Ao descer, os pés tocam o solo simultaneamente e paralelos

Sprunglauf

Corpo levemente para a frente. Correr saltitando em linha reta, elevando joelhos e braços alternadamente a 90 graus. Ao descer, o pé de trás toca o solo primeiro e o da elevação mais à frente.

Skipping

Corpo ereto. Correr em linha reta flexionando braços e joelhos (alternadamente) a 90 graus

Anfersen

Correr em linha reta “chutando” os glúteos com o calcanhar.

 
 
 
Texto: Tatiana Gomes
Matéria publicada na edição 14 do Jornal Corrida